Baixo Iguaçu: Representantes do IAP discutem medidas ambientais para Usina

Alessandra Bastos
Por Alessandra Bastos junho 7, 2013 14:36

Baixo Iguaçu: Representantes do IAP discutem medidas ambientais para Usina

Representantes do Instituto Ambiental do Paraná discutem obras na região do Baixo Iguaçu (Foto: Divulgação IAP)

Representantes do Instituto Ambiental do Paraná discutem obras na região do Baixo Iguaçu (Foto: Divulgação IAP)

Representantes do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) se reuniram com as entidades de Foz do Iguaçu, para discutir o licenciamento ambiental de obras de infraestrutura na região.

Entre as obras discutidas estão a estrada que deve ligar a Universidade Latino Americana (Unila) e o Parque Tecnológico da Itaipu Binacional – diminuindo o trajeto dos estudantes aos campos laboratóriais – e a usina hidroelétrica do Baixo Iguaçu, que deverá ser instalada na área do entorno do Parque Nacional.

A proposta da estrada, é minimizar o impacto da circulação de estudantes dentro da usina do Itaipu em Foz, com a construção de uma nova estrada que diminuirá o trajeto de 6 quilômetros para 1,7 quilômetro. Para isso, está prevista a implantação de uma ponte sobre o rio Bela Vista, que compõe o complexo do reservatório.

Os representantes do IAP também se reuniram com o chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro, para discutir as restrições ambientais necessárias e a compensação dos impactos ambientais para a construção da usina hidroelétrica de Baixo Iguaçu. A usina possui a Licença Ambiental Prévia e foi aprovada recentemente pela Assembléia Legislativa.

O empreendimento deverá ser construído entre os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques e afeta diretamente o entorno do Parque Nacional. Por isso, o IAP responsável pelo licenciamento ambiental – está em contato com o chefe do parque para a construção das condicionantes que serão impostas na Licença de Instalação, próxima etapa do licenciamento.

Uma das principais preocupações dos órgãos é a proteção para o canteiro de obras da usina. “Com o tempo, pudemos fazer uma reflexão sobre a usina. As pessoas amadureceram a ideia da construção do empreendimento e entenderam que ele pode trazer alguns benefícios para a sociedade do entorno do parque. Os impactos podem ser minimizados de forma a garantir uma boa convivência entre a usina, o parque e a comunidade”, afirmou Pegoraro.

Nas próximas semanas, a administração do parque deve apresentar ao IAP propostas de condições e medidas compensatórias que poderão ser inseridas no licenciamento ambiental.

Também participaram das reuniões outros integrantes do IAP – a diretora de Estudos e Padrões Ambientais, Ivonete Chaves; a chefe de gabinete, Ana Cecília Nowacki; o chefe do Escritório Regional de Foz do Iguaçu, Marcio Azevedo; a chefe regional de Toledo, Maria Glória Genari Pozzobon.

Fonte: AEN Pr

Alessandra Bastos
Por Alessandra Bastos junho 7, 2013 14:36